DIANA RUI

FOT√ďGRAFA





Eu ia escrever uma pequena apresentação, mas a Raquel Caldevilla já o fez tão bem, que qualquer coisa que eu escreva, nunca ficará tão perfeito.

Um pequeno excerto das palavras da Raquel:

‚ÄúDiana √© a fot√≥grafa que adora gatos. √Č menina-da-av√≥ paterna, a mesma que lhe acompanhou os passos e que ainda hoje a inspira a ser mais e melhor. (‚Ķ) Herdou o sentido de humor e a apet√™ncia para o desenho tamb√©m do pai e tem as mulheres da sua vida como fonte maior de inspira√ß√£o. (‚Ķ)

Nasceu e viveu em Matosinhos, mas sempre quis vir para o centro do Porto (‚Ķ) Ali√°s, √© esta a cidade que tamb√©m vive nas suas inspira√ß√Ķes para fotografar, a sua luz, t√£o √ļnica e diferente, especialmente de Inverno.

E assim foi, muito simples e concisa como se mostra, seguindo o seu caminho natural até o curso de Arquitectura na Universidade Lusíada, no Porto. (…)

Em tudo o que fazia, havia sempre algo que a complementava: a sua máquina fotográfica, que carregava consigo para onde quer que fosse. Percebendo isso, decidiu enveredar num curso de fotografia analógica e, em 2005, começou a dedicar-se a esta área de corpo e alma, revelando que pensa ter encontrado a sua verdadeira paixão e o seu lugar. Confessa que tem a fotografia analógica o seu amor maior, pois pensa mais cuidadosamente e vive mais aquilo que está a fazer, mas usa primordialmente a digital, já que entende o seu carácter mais imediato.

Como inspira√ß√Ķes, refere Anton Corbijn (‚Ķ) como sua influ√™ncia prim√°ria, aquele estilo preto&branco com cheirinho a film noir, com muito gr√£o e muito intenso. Actualmente, gosta muito do trabalho de retratos de Annie Leibovitz, apesar de reconhecer que n√£o tem rigorosamente nada a ver com aquilo que elabora, j√° que gosta de fotografar pessoas no seu habitat natural e prefere que n√£o existam poses ou defini√ß√Ķes pr√©vias. J√° fotografou v√°rios concertos e declara que √© algo que gosta muito, pois condiz com duas das suas paix√Ķes: a fotografia e a m√ļsica.

‚ÄėNem posso dizer que trabalho, porque fa√ßo o que gosto‚Äė, refere ela. Actualmente, Diana Carapu√ßo (ou Diana Rui) tem um site onde mostra aquilo que faz, aquilo que mais a define. (‚Ķ) Diana visita e fotografa casas de pessoas diferentes, conhece s√≠tios por dentro que j√° a faziam desejar por fora e que viviam no seu imagin√°rio. √Č isso que gosta mais neste seu of√≠cio, o facto de conseguir combinar a arquitectura e a fotografia, os seus fasc√≠nios num s√≥ suspiro.

Como valores principais que a motivam, a Diana elege a honestidade e a verdade, a vontade das pessoas de serem elas mesmas, sem medos. √Č uma pessoa muito pac√≠fica, paciente e doce, atra√≠da principalmente pelo sentido de humor e a boa disposi√ß√£o de quem a rodeia. √Č a maria-rapaz que gostava de jogar √† bola, andar de bicicleta e subir √†s √°rvores, contrariando as vontades de quem a queria quieta.‚ÄĚ

Texto por: RAQUEL CALDEVILLA - Escritora

EM ACÇÃO